Centenario Universidade do Porto
Myspace U.PortoFacebook U.PortoTwitter U.Porto
NEWSLETTER
 
 

António Murta: “É preciso fortalecer a dialética Universidade-Indústria”

  Partilhar
O Olhar de...

- Engenheiro e empresário português

- Managing Director da Pathena. Fundador e co-fundador de várias empresas inovadoras na área das TI, como a Enabler, a Mobicomp, a QuiiQ e a Cardmobili

- Professor da EGP – University of Porto Business School / EGP-UPBS (2005 - …). Professor e membro do Conselho Geral da Universidade do Minho.

- Antigo estudante do Instituto Superior de Estudos Empresariais / ISEE da U.Porto (génese da Escola de Gestão do Porto, hoje EGP-UPBS), com um MBA em Gestão (1989-90)

[Mais informações]

 

- Como é que teve origem e se desenvolveu a sua ligação à U.Porto? Que principais momentos guarda da sua experiência enquanto estudante e professor da EGP?

 

Comecei por ser professor convidado da Faculdade da Economia da U.Porto. Depois, mais tarde, aluno do primeiro MBA da EGP [Escola de Gestão do Porto] – na altura ISEE. Que guardo dessa altura? A memória de um tempo extraordinário em que uma “procura reprimida” de profissionais que queriam muito fazer um MBA e só tinham Lisboa como opção o fizeram no Porto pela primeira vez. Naturalmente, os colegas eram excelentes – aprendi tanto com os colegas como com os professores. Guardo a lembrança de pela primeira vez, e de um modo estruturado, ter uma visão holística da empresa – com os muito elevados contributos do Profs. Daniel Bessa, Rui Guimarães, Neves Adelino e o saudoso José Valente.

 

Bastante tempo transcorrido, já como docente da EGP, fui/sou testemunha de uma mudança geral para melhor da preparação dos quadros portugueses. E também de uma atitude muito mais participativa – pela primeira vez em muito tempo sinto que as pessoas estão a tomar o seu futuro nas suas mãos. Já não esperam nada de ninguém – tão somente sabem que dependem de si próprias. Estou certo que a EGP contribui positivamente para formar esta consciência.

 

- Qual a importância da passagem pela Universidade no seu percurso profissional e de que modo foi de encontro às suas expectativas?

 

A resposta a esta pergunta já deve transparecer da anterior. A passagem pela Universidade (primeiro no Minho e depois no Porto) marca o melhor tempo da minha vida. Um tempo de estudo mas também de vida solidária; um tempo de sonho, antes do embate com o mundo do trabalho; um tempo de formação dos valores certos – que estruturam o resto dos dias; um tempo em que conheci a minha esposa; um tempo de edificação, tanto no sentido técnico como na aceção humanística da palavra.

 

- Como avalia o papel desempenhado pela Universidade no seio da comunidade (cidade, região, país) e de que modo ele se poderá projetar no futuro?

 

Avalio muito positivamente. A Universidade tem contribuído decisivamente para mudar a matriz de especialização industrial do país e também para formar/treinar a geração mais educada que Portugal já teve. Sem ela não teria sido possível passar de 6% de licenciados para 16%, não teria sido possível baixar drasticamente a mortalidade infantil do país, não teria sido possível construir um setor de serviços que, há quarenta anos atrás, nos teria sido impossível almejar.

 

Mas temos ainda muito a fazer. Uma vez elevada a produtividade (quantidade e qualidade) da produção de ciência em Portugal, torna-se necessário não só manter e se possível elevar esse nível, mas também melhorar (e muito) a equação de transferência de conhecimento e conversão do mesmo em valor económico. Precisamos ainda de tornar a dialética Universidade-Indústria muito mais forte – a investigação aplicada pode ser uma fonte de financiamento e de desafio para a comunidade científica.

 

- Que caminho deverá ser percorrido para afirmar cada vez mais a Universidade no contexto regional, nacional e Internacional? Que Universidade do Porto gostaria que se celebrasse daqui a 100 anos?

 

O caminho terá de ser um de cada vez maior exigência – ditada pela especialização e pela competitividade. A Universidade terá de ser cada vez mais uma Universidade Europeia de grande reputação – que se constrói com ciência reconhecida e com atração dos melhores alunos – venham eles de onde vierem, não necessariamente só de Portugal. A Universidade e a Cidade terão de funcionar como polos de atração para novas empresas se erigirem à sua volta – recorrentemente e nos mais diversos domínios.

 

É difícil falar a 100 anos – com esperança de que saibamos não destruir a Humanidade nesse período (e há riscos reais que pesam sobre esta asserção). Mas gostaria de falar de uma Universidade de Homens Completos (artes/humanidades e ciências – com balanço inter-pessoal e intra-pessoal). Uma Universidade reconhecida como uma das 20 de topo da Europa em dois ou três domínios de especialidade. Uma Universidade com “Clientes” recorrentes ao longo da vida – nessa altura será normal ser licenciado várias vezes ao longo da vida por via da fatal obsolescência do conhecimento (ainda mais rápida que hoje).

 

- Mensagem alusiva aos 100 anos de Universidade do Porto

 

100 anos é muito tempo. Muitos parabéns pois. Mais do que merecidos.

 

Mas 100 anos não é muito tempo face à importância da Universidade como conceito estruturante da Sociedade. Projete-se pois os 100 seguintes. E faça-se isso com o sentimento (bem futurólogo) de construir, de desenhar o futuro. Ele não acontece, desenha-se.

 
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
« Retroceder  |  Topo da Página  |  Imprimir
«AGOSTO 2016»
DSTQQSS
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031
PRÓXIMO EVENTO
Dia da Universidade 2012 22 de Março de 2012

A tradicional Sessão Solene do Dia da Universidade será o ponto culminante das celebrações do Centenário da Universidade do Porto. Pelo Sal...

 
 
FICHA TÉCNICA   |   POLÍTICA DE PRIVACIDADE   |   TERMOS E DIREITOS
copyright 2010 U.PORTO todos os direitos reservados       PRODUCED BY 4Best 4Best

Website
Arquivado