Centenario Universidade do Porto
Myspace U.PortoFacebook U.PortoTwitter U.Porto
NEWSLETTER
 
 

Armando Tavares: "A U.Porto precisa de continuar a sua abertura ao exterior”

  Partilhar
O Olhar de...

- Engenheiro português

- Presidente do Conselho de Administração da NANIUM

- Antigo Estudante da Faculdade de Engenharia da U.Porto (FEUP), com Licenciatura em Engenharia Electrotécnica (1978)

 

- Como é que teve origem e se tem vindo a desenvolver a sua ligação à Universidade do Porto? Que principais momentos guarda da sua experiência enquanto estudante da U. Porto?

 

Desde novo tive grande interesse pela tecnologia, daí que não foi surpresa a minha opção pela FEUP, onde ingressei em 1973. A vida universitária de então tinha uma elevada componente de intervenção política e social, não sendo raras as manifestações, discussões e conflitos ideológicos. Toda essa actividade académica, particularmente activa entre 1973 e 1976, deu-me uma vivência fantástica, grandes lições para a vida e uma enorme ligação à Universidade.

 

- Qual a importância da U. Porto no seu percurso profissional? De que forma foi de encontro às suas expectativas?

 

Ao longo dos anos nesta instituição, tive oportunidade de adquirir uma sólida bagagem de conhecimentos, bem como de desenvolver as capacidades de analisar, integrar e relacionar informação. A qualidade dos docentes e a disponibilidade de meios, nomeadamente para trabalhos laboratoriais, muito contribuíram para assegurar uma preparação de base que foi, sem dúvida, determinante no desenrolar do meu percurso profissional.

Nos anos posteriores à licenciatura, mantive sempre uma grande ligação à Universidade, sendo inclusive membro do Conselho Consultivo do Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores durante vários anos. Sou também membro, desde há vários anos, do Conselho Geral da Fundação Gomes Teixeira.

Para além desta ligação mais pessoal, a empresa que dirijo manteve sempre um elevado relacionamento com a UP, nomeadamente com a FEUP, onde a cooperação bilateral foi sempre muito profícua, tendo-se traduzido no desenvolvimento de cursos adequados às necessidades da nossa indústria, na nossa participação em cursos e seminários, num programa de bolsas de estudos e prémios aos melhores alunos, na integração de estágios curriculares, na participação em doutoramentos e mestrados e muitos outros.

 

- Como avalia o papel desempenhado pela Universidade no seio da comunidade (cidade, região, país) e de que modo ele se poderá projectar para o futuro?

 

A Universidade do Porto é a maior instituição universitária do País e um importante pólo de conhecimento, dinamizador do desenvolvimento da região Norte e do País. A nível internacional, tem vindo a reforçar a sua presença entre as melhores da Europa, sendo também a maior produtora de Ciência a nível nacional. A qualidade dos seus serviços e dos seus recursos, bem como do corpo docente e corpo discente que a animam, tornam-na atractiva para o estabelecimento de parcerias de desenvolvimento de tecnologia, o que muito pode contribuir para a relevância do seu papel na comunidade. A modernidade inerente à forma como é gerida, a abertura a novos cursos e novas formas de ensinar e o bom relacionamento que sempre soube manter com a sociedade serão seguramente as bases para que tenha cada vez mais um papel consolidado e relevante.

 

- Que caminho deverá ser percorrido para afirmar cada vez mais a Universidade no contexto regional, nacional e internacional? Como prevê o papel de uma Universidade do Porto daqui a 100 anos?

Novos tempos exigem mudanças e uma Universidade não é disso isenta. A UP precisa de continuar a sua abertura ao exterior, adaptando a sua oferta na educação e as suas capacidades no desenvolvimento do conhecimento e de tecnologias às prioridades da região e do país, assim contribuindo o seu desenvolvimento. Esta maior abertura pode também permitir-lhe angariar suporte financeiro para novos projectos, num aproveitamento de sinergias que sem dúvida é benéfico para todos os envolvidos. 

Não podendo ficar de fora da onda de globalização, a UP terá de continuar a abrir-se ao mundo, acolhendo mais alunos, professores e investigadores estrangeiros, promovendo um ainda maior intercâmbio internacional, fazendo jus à melhor tradição da cidade do Porto.

 

- Mensagem alusiva aos 100 anos da Universidade do Porto.

 

Numa era de competitividade global como a que vivemos, a UP precisa de se manter ao nível das melhores no desenvolvimento e domínio do conhecimento e de apostar num ensino de qualidade, exigente, que permita colocar os nossos graduados e pós-graduados ao nível dos mais elevados padrões de exigência internacional.

 

 
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
« Retroceder  |  Topo da Página  |  Imprimir
«AGOSTO 2016»
DSTQQSS
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031
PRÓXIMO EVENTO
Dia da Universidade 2012 22 de Março de 2012

A tradicional Sessão Solene do Dia da Universidade será o ponto culminante das celebrações do Centenário da Universidade do Porto. Pelo Sal...

 
 
FICHA TÉCNICA   |   POLÍTICA DE PRIVACIDADE   |   TERMOS E DIREITOS
copyright 2010 U.PORTO todos os direitos reservados       PRODUCED BY 4Best 4Best

Website
Arquivado